As 3 dimensões do Amor

Como podemos fazer uma análise do amor que se vive em um casal? Juan Luis Linares, um grande terapeuta familiar espanhol, que já contribuiu muito para esse campo, sustenta que um terapeuta pode fazer uma avaliação de três dimensões da experiência amorosa.

Como podemos fazer uma análise do amor que se vive em um casal?

Fica aqui comigo que eu te conto.

Juan Luis Linares, um grande terapeuta familiar espanhol, que já contribuiu muito para esse campo, sustenta que um terapeuta pode fazer uma avaliação de três dimensões da experiência amorosa:

A dimensão cognitiva, que é o que se pensa sobre o amor, o objeto amado, a pessoa que se ama e a própria experiência da relação com essa pessoa.

O aspecto emocional, que é o que se sente sobre a pessoa e a experiência de viver uma relação com ela e o aspecto pragmático, que é o cotidiano dessa relação e da convivência com essa pessoa.

Quando falamos de componentes cognitivos do amor, sobre o que se pensa sobre o amor, temos os desejos, os pensamentos que aparecem nas duas pessoas, que estão vivendo essa relação entre reconhecimento e valorização. Que é uma balança, muito tênue, muito subjetiva difícil de medir entre como eu vejo o outro e como sinto que o outro me vê. Mas isso ainda está na esfera do pensamento.

Então é, como eu penso que o outro me vê e como eu penso que vejo o outro. Isso é uma das formas mais utilizadas, por exemplo, pelas pessoas que se dizem mais racionais para falar da própria experiência amorosa.

Componentes Emocionais

Os componentes emocionais da experiência amorosa são os mais exaltados, por exemplo, nas músicas, nos bailes dançantes, na sofrência, na literatura sobre o amor, nas poesias que tem a ver com a exaltação das paixões: com os sentimentos que explodem e eclodem a partir da intensidade de uma experiência amorosa; quanto mais íntimo; quanto mais expectativa, quanto mais convivemos, quanto mais eu projetamos, mais eu estou querendo que essa relação se longevise.

E esse desejo de longevisar o relacionamento, muitas vezes não assumidos na nossa época da pós modernidade, em que somos marcados muito pelo desejo de fluidez, da “fila anda”; no entanto, ainda temos dentro de nós o desejo de uma relação que dure, que permaneça, que crie raízes, com que se possa contar e se dar em segurança.

Quanto mais projetamos a longevidade, mais também construímos a possibilidade de explodir nos sentimentos; porque a intensidade do futuro é intensidade do desejo, é intensidade de viver já; o que já estamos pensando lá para frente. Então, enquanto isso se frustra no presente: no aqui agora, mais temos medo de que isso não possa acontecer daqui em diante ou daqui algum tempo.

Componentes Pragmáticos

E os componentes mais pragmáticos da relação, que tem a ver com sexo, desejo e gestão do cotidiano. Que são, como eu vou instituindo nessa relação os padrões da relação sexual, a possibilidade de conversar sobre os desejos, os desejos que vão se transformando ao longo de um ciclo de vida de um casamento, de uma relação mais longeva.

A possibilidade de discutir tabus, às vezes tabus de uma vida inteira:  às vezes que são trazidos de experiências dolorosas: como violências sexuais vividas em períodos da infância e da adolescência, tudo isso aparece no cotidiano de um casamento, mas esse cotidiano também é composto por uma gestão de um dia a dia que é interferida, por exemplo, pela discussão sobre a carga mental, pelas discussões de gênero, por como nós estamos fazendo a divisão das tarefas das relações com trabalho, casa, e filhos.

Início de uma conversa

Essas três dimensões são apenas o início de várias conversas que eu quero ter com vocês sobre terapia de casal, sobre coisas que um terapeuta de casal vai construindo naturalmente na sua forma de pensar e sentir o diálogo com seus pacientes.

Eu espero você aqui sempre. Até já!

por Alexandre Coimbra Amaral, Psicólogo, Mestre em Psicologia pela PUC do Chile Terapeuta de Casais, Famílias, Grupos e Comunidades.
Psicólogo do Programa “Encontro com Fátima Bernardes”, da Rede Globo. Colunista da Revista Crescer (Editora Globo) e do Portal Lunetas (www.lunetas.com.br).

Saiba mais sobre o Curso sobre Fundamentos da Terapia de Casal no link: https://profissionais.aripe.com.br/fundamentos-da-terapia-de-casal/