Você pode estar plena e realizada, e também se sentir vazia e melancólica.

Você pode mover montanhas pela cria, e às vezes não dar conta de levantar da cama de manhã.

Você pode se sentir a flor mais linda e colorida, e também aquela peludinha que nasce na rachadura da calçada.

Você pode fazer BLW ou papinha orgânica e, às vezes mandar a daquela marca do ninho de passarinho mesmo.

Você pode amar seu bebê loucamente, e vez ou outra, planejar deixá-lo numa cestinha.

Você pode ter um encontro idílico com o filhote na madrugada, e depois querer fingir de morta quando ele acordar pela quarta vez.

Você pode ter planejado fazer home office até o bebê completar dois anos, e com oito meses sonhar em voltar para a empresa para ver gente grande de perto.

Você pode decorar e cantar junto as músicas infantis que seu bebê adora, e também achar tedioso fazer a mesma brincadeira 37 vezes – quem não acha?

Você pode mudar de planos, pode querer uma coisa num dia e no outro precisar de outra. Somos seres mutáveis e ambivalentes, e não é porque se tornou mãe que a natureza impermanente muda.

A maternidade não vem com equilíbrio, certeza e coerência instalados de fábrica.

Na verdade, com ela, toda ambivalência humana é vivenciada a décima potência, isso sim. Você vai oscilar. Seu bebê vai oscilar. Para frente, para trás, para os lados. É quase uma lambada, vou lhe dizer.

Então, senta aí nessa gangorra chamada maternar, e divirta-se com suas loucuras e oscilações. Se levá-las muito a sério, você cai de bunda no chão duro.

Porque na maternidade cada dia é um dia, e se puder viver um de cada vez, você será uma mãe espetacular. E muito mais feliz.

por CAMILA RAMOS @colchaderetalhos.materna para o coletivo @lacosdopuerperio

4a Turma Psicologia do Puerpério com Alexandre Coimbra Amaral

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

CONTATO

Para nós é importante saber como você está se sentindo com as informações que estamos compartilhando. Você pode mandar uma mensagem falando de que forma esse conteúdo lhe tocou.

Enviando

©2020 Instituto Aripe - pós Parto e Puerpério Desenvolvido por V12 Brasil Marketing Digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?