No pós-parto é preciso uma certa desconexão.

É preciso se desconectar dos afazeres domésticos, da necessidade de uma casa totalmente limpa e organizada, do monte de roupa suja que tem para lavar.

É preciso se desconectar da cozinha, das compras, do cardápio da semana.

É preciso se desconectar do relógio, das horas marcadas, do tempo que se tem, do tempo que não se tem.

É preciso se desconectar das telas, das mídias sociais, das curtidas e compartilhamentos, e isso pode ser difícil.

É preciso se desconectar do passado, e isso pode doer um pouco.

É preciso se desconectar do futuro, e isso pode ser desafiador em tempos como estes em que vivemos, que exigem planejamento e estar “sempre à frente”.

É preciso se desconectar de certa forma do mundo lá fora, para encontrar o caminho para o mundo de dentro.

O puerpério pede a desconexão fundamental para abrir espaço para a conexão essencial. A conexão com si mesma, com seu bebê, com seus instintos, com seu lado selvagem.

A desconexão, no entanto, só é possível onde há uma coletividade a dar suporte.

Nossa sociedade individualista nos fez perder o coletivo que antes era natural, quando toda uma comunidade se mobilizava para permitir à mãe recente a sua desconexão exterior e consequente conexão interior.

Puerpério é tempo de cura – cura física, cura espiritual, cura emocional. E a cura plena pede esse binômio desconexão/conexão, pede descanso, pede processamento interior.

Hoje, a desconexão só é possível onde há preparação. Há que se pensar nas pessoas que podem ajudar a futura mãe a se desconectar dos afazeres domésticos, da cozinha, do relógio. Há que conversar com essas pessoas, deixar claro o que se espera de cada uma, combinar tarefas. Há que preparar a casa, a dispensa, os armários.

Conversar sobre o pós-parto é um importante primeiro passo. Pensar, refletir, comentar com as pessoas próximas.

A desconexão fundamental, com uma rede de apoio na sua base, vai permitir um maior vínculo com o bebê, uma menor incidência de baby blues e depressão pós-parto, mais sucesso na amamentação. A mãe recente sairá do turbilhão puerperal sentindo-se confiante para, aos poucos, estabelecer as conexões externas novamente.

Desconectar-se, portanto, é preparar-se para conectar-se outra vez. De modo pleno, profundo, verdadeiro e recompensador.

Por Dulce Piacentini.

Texto disponível em: http://www.abracodemae.com/pos-parto-desconexao-fundamental/

 

 

4a Turma Psicologia do Puerpério com Alexandre Coimbra Amaral

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

CONTATO

Para nós é importante saber como você está se sentindo com as informações que estamos compartilhando. Você pode mandar uma mensagem falando de que forma esse conteúdo lhe tocou.

Enviando

©2020 Instituto Aripe - pós Parto e Puerpério Desenvolvido por V12 Brasil Marketing Digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?