por Caroline Lampe Kowalski Machado

Entre o perfeito e o imperfeito,

o certo e o errado,

a certeza e a dúvida,

existe um filho,

existe uma mãe, um pai, (assista sobre a relação com a própria mãe)

avôs, avós, tios, tias…

Eis o puerpério! (veja mais aqui sobre isso)

Quando começa?

Quando termina?

Tem fim?

Será que eu “peguei” isso?

Tem cura?

A culpa é dos hormônios?

Das novas sinapses?

Das estrelas?

Ai… são tantas perguntas!

Para além de respostas prontas

e certezas inabaláveis,

puérperas buscam colo e apoio.

E encontram força nela e no outro!

E é no encontro que nos transformamos! (veja Porque Se Conhecer no Puerpério)

 Leia mais em: Na ausência de Aldeias, as mães são as que mais sofrem

Caroline Lampe Kowalski Machado, psicóloga, aluna do Curso Psicologia do Puerpério do Instituto Aripe.

carolinepsico@hotmail.com

 

Arte da Capa: Jane Côbo (conheça seu trabalho)

1 Comentário
  1. Franciely 4 meses atrás

    Ótimo texto !!!!!! Sensacional !!!!!

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

CONTATO

Para nós é importante saber como você está se sentindo com as informações que estamos compartilhando. Você pode mandar uma mensagem falando de que forma esse conteúdo lhe tocou.

Enviando

©2018 Instituto Aripe - pós Parto e Puerpério Desenvolvido por V12 Brasil Marketing Digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?