Já sabemos muito bem que o tempo corre, que a internet tornou tudo muito mais rápido. Temos metas acumuladas, prontidão de resultados, respostas instantâneas para todo tipo de perguntas. O tempo voa na velocidade da luz.

Mas quando chegam os filhos, tudo muda, a vida inteira muda, quase sempre pra sempre. No começo é tudo mágico, nos dispomos a desfrutar cada instante da vida desse novo ser, esse filhote que nos enche de amor, de afeto e de olheiras.

A doação é mamífera, nos entregamos ao leite que desce, ao sangue que limpa, ao bebê que suga. É um tempo suspenso no ar, onde o vínculo vai se conformando tal qual teia de aranha, num bordado meticuloso de amor, disposição e disponibilidade.

As lições do Tempo

Com maior ou menor dificuldade, o puerpério vai passando ao mesmo tempo em que voltamos a olhar no espelho. E no espelho vemos aquela mulher novamente, para além da mãe já abrigada em nós.

É quando bate forte a vontade de sair com as amigas, de namorar o companheiro, de transpirar por exercício, de vestir um vestido que não seja próprio pra amamentação. Queremos então voltar ao nosso ritmo para além do lar, trabalhar com o afinco de outrora, criar, dançar, e ser uma boa mãe, é claro.

Nesse momento as lições do Tempo se tornam mais intensas, pois nem sempre as coisas são como gostaríamos. É virose, é resfriado, é manha, é carência….

Aparece o que seja para nos frear, para impedir nossos voos de águia sedenta e nos manter galinhas chocas cuidando do ninho. Queremos bater asas e muitas vezes somos impedidas de seguir a vida no ritmo desejado. Mesmo que tentemos manter uma dinâmica familiar impecável, as vezes a vida puxa o freio de mão, e nós nos debatemos, nos frustramos, sofremos.

E agora, como lidar com isso?

Para, respira, respira de novo, muitas vezes e profundamente. Olha pra cria, olha pro ninho, se acalma… lembra do Chico cantando “não se afobe não que nada é pra já…” Lembra que a vida tá por um fio, sempre. Lembra que o Tempo é Rei. Lembra que o melhor que podemos fazer é oferecer o melhor de nós, com luz e com sombra. Lembra que sábio é o universo, e que nada que vivemos é em vão.

Escuta uma boa música, se nutra do sorriso sincero de sua criança. Respira mais um bocado e pague o choro com ternura. E se precisar, chore também.

Tudo passa. E tudo passa rápido demais. Não tenha pressa. Já chegará o tempo de alçar novos voos. E, enquanto isso, saboreie a maturação da vida que, muito felizmente, ainda podemos carregar no colo.

 

Pollyana Mendonça – mãe da Aurora e da Violeta, Psicóloga pela Universidade Federal de Uberlândia, Mestre em Antropologia Social e Cultural pela Universidad de Barcelona, Indigenista com vasta experiência na Amazônia Ocidental, Permacultora e Contadora de histórias.

INSCRIÇÕES ABERTAS – 3a. TURMA PSICOLOGIA DO PUERPÉRIO

15 Comentários
  1. Valquíria Andrade 5 meses atrás

    Belíssima descrição, com riqueza de detalhes e um toque de sutileza especial. Não peça em nada diante da realidade. Perfeito! Tudo que estou passando retratado aqui.

    • tarsilakato 5 meses atrás

      Obrigada Valquíria! Esse retorno é importante para nós, forte abraço!

  2. Tatiane 5 meses atrás

    Perfeito precisava ouvir todas essas
    Palavras sábias!
    Obrigada ?

    • tarsilakato 5 meses atrás

      Obrigada Tatiane por nos acompanhar! Forte Abraço Equipe Instituto Aripe

  3. Lilian Martins 9 meses atrás

    Vivendo esse misto de sentimentos. Coração cheio de gratidao a Deus num dia, em outro angústias terríveis. Vontade de voar, sair, caminhar, fazer compras… mas o pintinho no ninho ainda exige olhar e seios 24 horas.
    Esse texto descreve o que estou vivendo… Tempo de esperar o tempo…

  4. Bruna 9 meses atrás

    Essa sensibilidade que sempre cai em um momento certo da vida da gente. Obrigada pelos textos e palavras que definem delicadamente momentos tão frágeis, alegres, solitários e nada fáceis.

  5. Carine 11 meses atrás

    Maravilhoso…. compartilhei, pq são sabias palavras que me emocionaram e arrancaram suspiros…. momento que suas palavras traduzem com tamanha profundidade ?

  6. Giselli Martínez 11 meses atrás

    Lindo, inspirador. Obrigada por sua sensibilidade e exatidão nas palavras que tanto fazem sentido para mim nesse momento. Felicidades a você!!

    • Autor
      pollyana123 11 meses atrás

      Obrigada! Felicidades a todos nós!

  7. Escarlatt 11 meses atrás

    Perfeito o texto! Precisava de uma leitura assim pra poder “enxergar” que tudo tem seu tempo e não posso perder o momento de agora enquanto meu bb é tão pequenino… devo aproveitar cada segundo com ele.
    Parabéns pelas palavras!

    • Autor
      pollyana123 11 meses atrás

      Obrigada, seguimos em paz!

  8. CARLA SENA BARBOSA DE OLIVEIRA 11 meses atrás

    Acabei de aliviar minhas angústias com esse texto.

  9. Débora Biachi Falleiro 11 meses atrás

    Muito bom o texto, o segredo é quando o espelho voltar a refletir, desacelerar as vontades, pois o tempo passa muito rápido, e depois sentiremos saudades de algo que jamais voltará. Seremos mulheres e mães para Sempre e os filhos crianças só uma vez…

  10. Deborah Caldas 11 meses atrás

    Lindo texto, difícil não se emocionar!

    Já senti a voracidade de trabalha e planejar, fazer e acontecer.
    Mas tudo isso foi confrontado com a dificuldade de simplesmente sair de casa.
    Mas graças a Deus, tive sabedoria de entender que tudo tem o seu tempo.

  11. Laura Müller 11 meses atrás

    Que leveza extraordinária para um assunto que pesa tanto! Obrigada!

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

CONTATO

Para nós é importante saber como você está se sentindo com as informações que estamos compartilhando. Você pode mandar uma mensagem falando de que forma esse conteúdo lhe tocou.

Enviando

©2019 Instituto Aripe - pós Parto e Puerpério Desenvolvido por V12 Brasil Marketing Digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?