A Solidão Puerperal

A companhia do filho recém chegado nem sempre é suficiente. O pós-parto é marcado por alguns intensos momentos de solidão. Mas porque isso acontece?

Essa é uma solidão por deixarmos de ser a pessoa que éramos para nos tornamos outra. A mulher deixa de ser apenas filha e se torna mãe.  Nossa cultura está pronta para receber as mulheres que estão vivendo o êxtase e o encanto da maternidade.  No entanto, quando a mulher vive momentos de dúvida, confusão e estranhamento ela é deixada de lado, sozinha. Sua dor não é acolhida, e o que a maior parte das pessoas que estão ao redor faz é dizer que ela não precisa ficar assim, que o filho é uma benção , etc.

Existe uma frustração porque a mulher percebe que não atende aos próprios ideais de “boa mãe” e consegue apenas ser o que é possível ser no momento. Isso é muito solitário.

E esse estado não significa necessariamente que existe algo errado, é apenas um momento de introspecção fruto de uma grande transformação emocional.

por Alexandre Coimbra Amaral, psicólogo, terapeuta familiar e de casais; fundador do Instituto Aripe e está conduzindo o Curso de Psicologia do Puerpério.

O curso online “Psicologia do Puerpério” é para quem tem vontade de conhecer com profundidade, a psicologia perinatal, o processo emocional da mulher, do bebê, da díade formada entre a mãe e o seu filho, da família e das pessoas em torno da grande novidade que é o nascimento de um bebê.

Para profissionais que já trabalham com gestantes, parturientes e puérperas, estudantes das áreas de saúde; educação e ciências humanas, como formação complementar, já que é um tema quase nunca exposto nos cursos de graduação como conteúdo básico.

Saiba mais em: https://aripe.com.br/psicologia-puerperio/

O Instituto ARIPE é uma plataforma de cursos online de aperfeiçoamento e aprofundamento profissional de psicologia; cursos complementares e educação continuada a distância para psicólogas (EAD), psicanalistas, terapeutas individuais, psicoterapeutas, psicopedagogas e interessados pelos assuntos.

Autores

Nuvem de tags

Posts recentes

45 respostas

  1. Alexandre, você é uma inspiração sem tamanho! Desde o EMACON te acompanho e admiro teu trabalho. Gratidão pelo teu compartir!

  2. Obrigada pela sua sensibilidade e sua luz. Já vivo este processo na gravidez…tem sido solitário em.todos os aspectos e doloroso.

  3. Incrível como você me faz entender o que está acontecendo comigo. Gratidão pelas palavras.

  4. Perfeito!
    Vejo isso todos os dias no consultório!
    Bom seria se todos são os profissionais tivessem a sensibilidade de trabalho isso nesse momento.

  5. Voce traduziu perfeitamente o momento que passei e continuo enfrentando. Um puerpério que ja dura 10 meses, rs. Obrigada pelas palavras sábias e sensíveis. Parabéns!

  6. Passei por este momento e até hoje não me sinto recuperada, mudei demais após a maternidade e depois de todo este sofrimento não penso mais em engravidar, acho que não suportaria passar por tudo isso novamente.

  7. As falas de vocês reforçam os nossos propósitos, de continuarmos construindo estes videos e comunicando-nos com as mulheres que vivem o mesmo. Um abraço! Alexandre.

  8. Formar profissionais neste tema é um dos nossos desafios, ao qual estamos atentos também. Grato! Alexandre.

  9. Busque apoio nos grupos virtuaus de gestantes e mães, se estiver se sentindo muito mal e solitária! Pode lhe fazer bem. Um beijo, Xande.

  10. Que bom! O EMACON é uma iniciativa maravilhosa, um encontro de gente inspirada e esforçada em construir um mundo melhor para quem está se descobrindo mais através da maternidade. Um beijo! Alexandre.

  11. Olá sinto exatamente assim , desde do dia que descobri a gravidez estou no 6 mês Ainda , uma solidão sem fim

  12. Essa pág apareceu pra mim no face, num momento de pura solidão, onde eu estava com uma imensa vontade de chorar, pareceu até resposta de Deus, me dizendo q não estou sozinha, me ajudando entender um pouco o q estou sentindo… meu bebê fez 20 dias hj.. Meu filho foi muito esperado, tive dois abortos antes de conseguir ter ele e ainda assim agora no pós parto me pego em momentos de imensa solidao… me vendo em ter q abrir mao de muitas coisas q eu gostava de fazer e me culpando por nao gostar de ter q abrir mao dessas coisas.. se perguntando, será q serei uma boa mãe? sera q fiz a coisa certa? Enfim… É um momento de muitas mudanças, transformações… e realmente meche muito com nosso psicológico!!

  13. To com 37 semanas e me sinto assim soliraria peco a Deus q quando minha florzinha chegar não agrave mais pq e tao ruim só quero chorar tudo q me fala me ofende pareço estar só em meio multidão.

  14. Estou de 35 semanas e esses vídeos me mostrando como devo agir depois que minha bebê nascer. Obrigada!

  15. Eu te entendo. Mas chegada do bebê é bastante desafiadora um cansaço imensurável. Tente descansar o quanto , peça ajuda e tudo vai ficar . passei por isso e moro em outro estado só e meu marido ele trabalhando e dia todo, depois da minha licença tive que voltar a faculdade tbm e levei meu bebe todos os dias.

  16. Chorei. A cobrança por fazer pouco. A questão da mãe quanto ao questionamento sobre sobre valorização a ela .. o casamento .. Mais quando isso passa?

  17. Tenho me sentido assim todos os dias. Tento ser forte, mas sempre choro por não saber o que fazer às vezes. As pessoas me dizem que vai passar e procuro me apegar nisso. Me sinto aflita em pensar quando voltar a trabalhar, aí alguns vem me dizer que meu filho vai sofrer, que devo parar de amamentar logo, mas ele só tem 2 meses e que devo deixá-lo chorando e não dar colo.
    Não sei como será, espero que essa fase passe logo e que eu consiga vencê-la. Meu marido faz o que pode, quando está em casa pra me ajudar, só o fato de ter mais alguém em casa já me consola. Obrigada Alexandre! É bom saber que não estou só

  18. Passei por este momento e até hoje não me sinto recuperada,choro,solidão,o barulho me incomoda…
    obrigada por me fazer entender q não estou ficando louca ,são momentos q passarão…com fé em DEUS.

  19. Meninas que estão próximas a se tornarem mães, Parabéns a todas. Só quero deixar algo para vcs aqui. Por mais que estejamos nos sentindo preparadas e tivermos assistido vários documentários e lidos livros maravilhosos sobre o assunto que estão vivendo no momento, algo lhes digo: Quando o bebê chega é tudo diferente, nada do que lemos ou assistimos vai servir, só vivendo para saber… Assim, muito sucesso a todas.

  20. Você está certíssima. Gostei da sua colocação irá ajudar algumas mamães não ficarem frustradas por não conseguir cuidar do seu bebê como aprenderam nos livros.

  21. TODAS as mães passam por um momento dúbio após o nascimento do bebê. É felicidade de um lado e tristeza do outro. A mulher se adapta a nova identidade as custas da exaustão física e mental. Infelizmente nossa cultura não permite a essa mãe viver essa ambiguidade; fazendo com q ela se sinta incapaz. Mtas vezes a mãe se força a “ser forte” querendo mostrar aos outros q ela aguenta. É uma pena.. A mãe precisa de bons cuidadores (que olhem e cuidem dela)pra q ela possa estar inteira para o bebê.

  22. Bom saber da sua historia e sentimentos, taos iguais aos meus, e vê que nao sou o monstro que me julgo ser.. muita luz pra vc. ?

  23. Estou passando por tudo isso, tenho 37 anos e tenho três filhos. Meu bebê tem apenas três meses. Morro de medo de não saber cuidar, tenho medo que fique doente e etc. Já sou mãe de um rapaz de 18 anos e de uma menina de 09 anos. Sou muito insegura, quase entro em depressão. Sei que vai passar, mas não está sendo nada fácil.

  24. Tbm pensei igual a vc, será q fiz a coisa certa, minha mãe me perguntou se eu amava meu filho e eu não sabia oq responder, flei ao meu marido q não sentia aquele amor incondicional q todos dizem sentir, um sentimento muito estranho… hj meu filho esta com 57 dias e a cada dia tem melhorado, por mais cansativo e exaustivo q seja, os pensamentos ruins estão passando kda dia mais. O pensamento de ser uma péssima mãe tbm passa a cada dia. Hj jah me sinto bem mais segura e bem melhor. Se apeguem com Deus peça a ele sabedoria, por mais q assistimos videos, lemos livros, não adianta de nd, soh vivendo msm pra saber como eh. Mas td passa e fica cada dia melhor ser mãe.

  25. Olá mulheres! Realmente essa fase do puerpério é um momento bastante frágil e delicado. Nós, do Instituto Aripe, buscamos auxiliá-las através dessa rede de apoio e informações de qualidade, mas como Thamires disse só vocês que estão vivendo para saber realmente o que tem passado e qual o caminho que vocês devem seguir. E passa, realmente passa.. mais rápido que imaginam! Esse relato da Manoela podem auxiliar vocês nesse momento, ela conta de forma bastante verdadeira e aberta como foi vivenciar essa ambivalência de sentimentos no pós-parto https://aripe.com.br/impaciencia-e-raiva-no-pos-parto/. Nós também estamos com a Roda de Pós-Parto online, caso vocês tenham interesse, todas as informações estão disponíveis do site http://www.rodadeposparto.com.br. Abraços!!!

  26. Olá mulheres. E realmente vocês não estão só. São muitas e muitas mulheres no Brasil que vivenciam esses sentimentos diariamente em relação ao puerpério e a maternidade. A ideia aqui é justamente essa, criar redes de apoio e acolhimento. Compartilhar informações que possam trazer alívio e conforto para vocês. Jana, em relação a dar colo recomendamos que você leia esse texto: https://aripe.com.br/colo-que-cura-e-cria-vinculo/ , pode ser interessante para essas suas questões. Temos também a Roda de Pós-Parto online, caso vocês tenham interesse todas as informações estão no site http://www.rodadeposparto.com.br. Grande abraço!

  27. Oi gente, nossa fiquei mais confortada ao ler os comentários das maezinhas… E como é difícil esse tempo pós-parto é um verdadeiro misto de emoções. Vivi na pele tudo isso… amanhã dia 08/03 minha filha completa 1 mês… vejo que a cada dia estou melhor (emocionalmente) e mais preparada para cuidar da minha princesa… graças a Deus apesar da enorme dificuldade, as coisas estão entrando no eixo. Parabéns pra nós mães e mulheres guerreiras!!!!

  28. Olá Regislaine! Seja bem-vinda! É muito importante essa rede de apoio que construímos aqui, porque vemos que não estamos sozinhas e todas passamos por esses desafios no pós-parto. Aqui no site tem bastante material gratuito disponível, e temos também a roda de pós-parto que é uma área de conteúdos exclusivos para as assinantes, maiores informações em https://rodadeposparto.com.br/. Abraços!!!

  29. Nossa, que bom ler isso! Estou passando por isso, me indentifiquei com vários comentários que li. Meu bebé tem 1 mês e 10 dias e TB sinto essa solidão, sensação muito estranha, um cansaço inexplicável, pensamentos ruins, com medo do amanhã, medo de não ser uma boa mãe, olho pra trás e sinto falta da minha vida de antes e penso q nunca mais foi tê-lá… Se falo o q sinto p outras pessoas, só dizem que é normal, pra eu ter paciência, q filho é bênção… Mas na verdade até agora não senti aquel felicidade plena que todos falam…espero que isso passe com o tempo.

  30. Olá Priscila! Seja bem-vinda ao nosso Instituto. Aqui você encontrará vários vídeos e textos que podem te auxiliar nesse momento tão delicado que é o puerpério. Saiba que o que você está vivendo é normal e sim, passa! Importante agora é encontrar redes de apoio e lugares que você possa expressar e compartilhar o que sente sem se sentir julgada ou culpada. Aqui é um desses lugares! Abs!

  31. Meu bb nasceu faz 17 dias e me sinto igualzinha a vc. De certa forma eh bom ler isso pois então não eh anormal…

  32. Muito bom estou passando por isso também.mas tenho fé em Deus que essa fase vai passar.abracos

  33. Obrigada, Alexandre, por esse canal tão útil para nós puérperas (muitas vezes puérperas tardias)!
    No minha primeira puérpera fui diagnosticada com depressão por parto, fiz tratamento.
    Hoje, 4 anos e meio depois, novamente vivo o puerpério. A melancolia e tristeza são imensas, mas não gostaria de fazer tratamento para depressão pós parto como da outra vez, pois o uso de medicação foi muito sofrido (efeitos colaterais). Seus vídeos têm me ajudado muito.
    Rogo a Deus que isso passe, mas querendo apreender o que esse período que me ensinar…

  34. Zelha, ficamos felizes em saber que os vídeos têm te ajudado de alguma forma. O pós-parto é realmente um período de tristeza e muitas mudanças. Mas com informação, apoio e diálogo é possível passar por essa fase de uma forma mais leve e amorosa. Conte conosco! Abs.

  35. Depois de 4 anos e meio do primeiro filho, achei que por saber das dificuldades não teria sentimentos parecidos. Porém, realmente é solidão. A privaçãodo sono me deixa desequilibrada. Parece uma loucura…

  36. Querida Luciana, se sinta abraçada nesse momento. Cada gestação, cada bebê e cada pós-parto nos reservam surpresas. Indicamos que você busque uma roda de pós-parto em sua cidade ou mesmo nas rodas virtuais você pode encontrar conforto e acolhimento nesse momento especial. Abraço – Equipe Aripe.

  37. 5 anos após minha primeira experiência cá estou novamente! Achei que não sentiria isso dessa vez, mas aqui está o sentimento de solidão de novo! É tão dolorido…

  38. Sinta-se abraçada, acompanhe nosso post. Você conhece o Psicologia Mãe e Bebê, esse trabalho pode lhe auxiliar nesse momento tão importante. Equipe Aripe

  39. Estou passando por isso meu bebê ja tem 3 meses e nao sinto daquele amor incondicioal me senti tristr, fico me perguntado cade minha vida de antes sera qur um dia isso vai Passar??

  40. Olá! Caso esse sentimento esteja muito forte procure uma ajuda profissional, apenas uma conversa pode te trazer mais compreensão do que está acontecendo.
    Abraço

  41. É uma fase difícil, ainda mais quando você é abandonada pelo pai do seu filho quando o seu bebê completa um mês, a dor e solidão é aumentada e tudo parece que não terá fim. Espero que um dia eu retome a vida normalmente, e que essa fase sofrida não cause traumas incuráveis.

Os comentários estão desabilitados.