Etiqueta: Maternidade

diálogos -com-a-esperança-instituto-aripe
DESTAQUE

Via-láctea

Lembro-me de quando a notícia de um câncer, o médico ergueu contraluz a ultrassonografia da mama saudável e disse. “Aqui está sua mama direita”. Então, ergueu contraluz a ultrassonografia da mama sacrificada e as calcificações pareciam uma faixa da Via-Láctea. Lembro-me de quando, naquele instante, pensei o seguinte. Biópsia; segunda opinião; campo cirúrgico; próteses; recuperação; com-ou-sem-mamilo; hidratação; exercício físico; uma viagem, talvez, a Via-Láctea. Uns bons minutos e eu boiando dentro daquela galáxia e ainda pude ouvir o doutor novinho dizer “in situ” e tudo pareceu finalmente poético porque o que era possivelmente terrível estava sequestrado por um ducto mamário. Tanta placidez porque, aos doze anos de idade, havia eu aprendido a crer em ocorrências de “expectativa favorável” e um (bom) tempo já o verbete “esperança” no glossário dos meus dias.

Leia mais »
curso-especializacao-teoria-do-apego
DESTAQUE

Os filhos nos veem, desde sempre.

É curioso escutar quantas ideias e emoções nascem da crença de que seria possível ou desejável esconder partes de nós de nossos filhos. “Não pode

Leia mais »
curso-especializacao-teoria-do-apego
MÃES E PAIS

Reféns da virtualidade e os espaços de ser e pertencer.

Dia desses conversava com uma amiga bem entendida dos tais algoritmos das redes sociais, e ela me explicava um pouco da complexidade da questão. Que se você habita um perfil virtual com um certo alcance, supostamente você assume um compromisso de postar com regularidade, de alimentar sua página de conteúdos com constância e uma identidade construída a partir de recortes temáticos. Caso contrário, se você se desconecta e passa um tempo sem postar, o algoritmo de alguma forma te apaga, você some dos olhares que te viam por perto. Algo assim…

Leia mais »
curso-de-parentalidade-psicologia
MÃES E PAIS

O espelhamento – neurônios espelhos.

Você já percebeu que as crianças desde muito cedo tendem a imitar os pais? O jeito de andar, a forma de falar, o jeito de mexer as mãos, as expressões faciais. O que isso pode influenciar na comunicação entre pais/mães e filhos? Você já ouviu dizer que as crianças não escutam o que você fala e sim o que você sente? O que você sabe sobre os neurônios-espelhos?

Leia mais »